Thursday, August 11, 2022
Revista Científica Digital da SBEM-SP


ECOS da ENDO 2022 – Terapia prolongada dos antitireoidianos

Por Danilo Villagelin Neto , em TIREOIDE , dia 30 de junho de 2022 Tags:, ,

Long Term Consequences of Hyperthyroidism and Its Treatment – Long Term Antithyroid Drug Therapy: Risks and Benefits foi o título da aula do Dr. David Cooper, da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, durante o último congresso da ENDO Society. O Dr. Danilo Villagelin Neto (Unicamp) traz abaixo alguns pontos dentro dessa temática.

O que você acha da terapia prolongada dos antitireoidianos em adultos?

Pouco mudou no tratamento da doença de Graves nos últimos 75 anos. Os três tipos de tratamentos — drogas antitireoidianas, radioiodoterapia e cirurgia — apresentam pontos positivos e pontos negativos. Temos o uso do radioiodo e cirurgia como tratamentos definitivos que apresentam como resultado o hipotireoidismo. As drogas antitireoidianas são o tratamento mais usado no Brasil e no mundo, tendo como objetivo a remissão da doença de Graves, que costuma ocorrer em 40% a 60% dos pacientes. Usualmente o tratamento com as drogas antitireoidianas é feito por 12 a 24 meses. Nos últimos anos, tem aumentado a evidência de que o tratamento prolongado (maior que 24 meses) traz benefícios tanto em termos de remissão da doença quanto em desfechos de ganho de peso, qualidade de vida e evolução da orbitopatia quando comparado ao radioiodo.

Como você acha que deve ser a abordagem?

Não é todo paciente que se beneficiará do tratamento prolongado. A discussão deve ser feita de maneira individual (médico e paciente), ponderando-se prós e contras. O perfil do paciente que se beneficiará desse tratamento é aquele que não apresentou remissão após 12-24 meses, tem orbitopatia, não quer tratamento definitivo, tem boa adesão ao tratamento e está em dose de Tapazol menor que 10 mg/dia.

Você concorda com o que foi trazido no congresso da ENDO?

Sim. Dr. David Cooper, ex-presidente da American Thyroid Association, realizou uma revisão da literatura mostrando que a evidência que suporta o tratamento até 24 meses não é robusta e cada vez mais endocrinologistas no mundo estão usando o tratamento prolongado.

Danilo Villagelin Neto – Clique para ver o CV Lattes

Imagem: iStock

Comments


Deixe um comentário


O seu endereço de e-mail não será publicado.